quinta-feira, 11 de abril de 2013

Brasil esta comprando carros de combate anti-aéreos da Alemanha para atender exigências da FIFA

Os carros não são novos. Foram reformados com validade até 2030

O Brasil acertou a compra de um sistema de artilharia antiaérea vindo da Alemanha e composto por 34 carros de combate Gepard, que são capazes de abater aviões, helicópteros, mísseis e drones (aviões sem tripulação) a até 3km de altitude e 15km de distância. A compra visa a renovação da frota de defesa brasileira e também a segurança dos grandes eventos que serão sediados no país nos próximos anos.

"O contrato será assinado ainda nesta semana ou, no máximo, na próxima. Pretendo estar com toda a tropa preparada e treinada para atuar com o novo sistema na abertura e no encerramento da Copa das Confederações e na visita do Papa, para garantir a segurança de quem estiver nos estádios", afirmou o comandante da Brigada de Artilharia Antiaérea, general Marcio Roland Heise, ao portal G1.

Os blindados comprados são usados, pertecem ao Exército da Alemanha e sofreram remodelação em 2010, ficando aptos a operar até 2030. Os valores dos carros, que pesam 47,5 toneladas e são equipados com dois canhões do tipo Oerlikon, não foram divulgados pelo Exército, que em nota oficial apenas confimou que o contrato com o Ministério da Defesa da Alemanha será assinado "nos próximos dias".

Mesmo com a compra encaminhada, o Brasil ainda precisará negociar com outros países para ter aparato de defesa que supra as necessidades impostas pela Fifa. A entidade máxima do futebol prevê que o país-sede deverá ter um sistema de artilharia antiaérea com capacidade para atingir alvos a 15km de distância. Em fevereiro o país assinou, por meio do vice-presidente Michel Temer, uma intenção de compra desse sistema vindo da Rússia.