quarta-feira, 14 de março de 2012

Advogado de Bruno confirma: Corpo de Eliza Samudio foi devorado pelos cães

Defensor diz que goleiro vai fazer
esta revelação em juízo
 
Um ano e sete meses após o desaparecimento de Eliza Samudio, uma nova versão deve provocar uma reviravolta nas investigações do caso. De acordo com revelação feita ontem à "TV Folha" pelo advogado do goleiro Bruno Fernandes, ex-amante da modelo e preso desde 2010 pela acusação de ter participado do assassinato, Elisa está realmente morta. Rui Caldas Pimenta sustenta que o crime foi cometido pelo ex-policial civil Marcos Aparecido dos Santos, conhecido como Bola, e que foi Luiz Henrique Romão, o Macarrão, melhor amigo do ex-jogador do Flamengo, que levou a jovem até a casa do carrasco.
De acordo com as declarações do advogado, Eliza que estava no sítio de Bruno junto com o filho que teve com o goleiro e teria pedido dinheiro ao jogador, dizendo que iria para São Paulo. Bruno então teria dado R$ 30 mil para que o amigo Macarrão acompanhasse Elisa Samudio até a rodoviária, porque era noite. Mas, segundo o advogado, agindo à revelia de Bruno, Macarrão teria levado a modelo até Bola.
"Executaram a moça. Mataram mesmo. Jogaram pra cachorro. Isso é tudo verdade", garante o advogado do ex-goleiro, que diz ter ouvido a revelação da boca do próprio Bruno.
O local seria conhecido como "casa de matar" e ficaria no centro de treinamento do Grupo de Resposta Especial (GRE), uma unidade de elite da Polícia Civil de Minas. O ex-policial também seria integrante de um grupo de extermínio. A nova versão será sustentada por Rui Pimenta na defesa de Bruno, e o goleiro, segundo a "TV Folha", vai repeti-la no julgamento.
O advogado já havia alegado que Macarrão era homossexual e que teria cometido o crime por amor ao ex-jogador. Oito pessoas foram denunciadas pelo crime. Entre elas, um primo adolescente do jogador, Sérgio Sales, que cumpre medida socioeducativa. Bruno, Macarrão e os demais aguardam julgamento.