sexta-feira, 3 de agosto de 2012

Sem favoritismo, Zanetti pode chegar onde Daiane e Hypólitos não foram

Sem favoritismo, Zanetti vem surpreendendo

Daiane dos Santos e os irmãos Daniele e Diego Hypólito são os nomes que levaram a ginástica artística brasileira a um novo patamar de reconhecimento, mas falharam em momentos decisivos e não conseguiram dar ao país uma medalha olímpica. Praticamente um desconhecido, Arthur Zanetti está a caminho de chegar lá.

O ginasta classificou-se para a final da prova de argolas, da qual é o atual vice-campeão mundial, com a 4ª melhor nota e, por ser um estreante em Olimpíada, se vê livre da pressão por resultados, ao contrário de seus adversários mais experientes e que chegaram a Londres com o peso de comprovar o favoritismo. A final será na segunda-feira.

"Vou fazer meu melhor para repetir os bons resultados dos últimos anos, mas sei que eles são consequência da minha prova no dia da competição, e é nela que vou me concentrar agora", acrescentou o ginasta paulista, que além do vice-campeonato mundial em 2011 ainda conquistou a medalha de ouro no evento-teste realizado em Londres antes da Olimpíada.

Desde que Daiane dos Santos conquistou o título mundial do solo em 2003, a ginástica artística do Brasil vive a expectativa de levar sua primeira medalha em uma Olimpíada.


(Terra)