domingo, 29 de julho de 2012

Duas atletas são pegas no doping e Jogos de Londres têm terceiro caso em dois dias


Tameka Williams, de São Cristovão e Nevis, e Luiza Galiulina, do Uzbequistão, viram suas esperanças nos Jogos Olímpicos de Londres chegarem ao fim neste domingo ao serem suspensas da competição por serem pegos pelo uso de substâncias dopantes, aumentando assim o número de participantes eliminados para três em apenas dois dias de Olimpíada.
A corredora Tameka Williams, de São Cristovão e Nevis admitiu ao comitê olímpico do seu país que utilizou uma substância proibida e retornará para casa dias antes do início das competições do atletismo.

O órgão olímpico, que não revelou qual substância proibida foi ingerida, informou que a atleta, de 22 anos, que competiria nos 100m e 200m rasos na sua primeira Olimpíada, falou de forma voluntária sobre o doping na esperança de uma pena reduzida ou até mesmo ser inocentada no caso.

A outra atleta pega no doping neste domingo foi a ginasta uzbeque Luiza Galiulina. A atleta acabou suspensa provisoriamente após o primeiro teste ter dado positivo pelo uso de uma droga usada para mascarar outras substâncias dopantes.

Galiulina, de 20 anos, que deveria ter competido neste domingo no solo, terá de esperar pela segunda prova. Se o teste der positivo novamente, ela será excluída dos Jogos e poderá pegar uma pena de até dois anos de suspensão.

O COI espera realizar cerca de 5 mil testes antidoping durante a realização dos Jogos de Londres. O primeiro atleta pego foi o albanês levantador de peso, Hysen Pulaku, no sábado, pelo uso de esteroides.