segunda-feira, 25 de março de 2013

Presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Alves, diz que situação de Marco Feliciano é insustentável


A situação do deputado Pastor Marco Feliciano (PSC-SP) está cada vez mais complicada. O presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), afirmou que a situação do parlamentar à frente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias está insustentável. Ele garantiu que, na próxima terça-feira (26), tomará uma decisão definitiva. 

Na quarta-feira (20), Henrique Alves chegou a fazer um apelo para que Marco Feliciano deixasse o cargo. Os dois se reuniram com lideranças do PSC para tratar sobre o assunto. Ao fim do encontro, no entanto, o pastor declarou que não deixaria o cargo. O deputado voltou a afirmar a impossibilidade da reunião na tarde desta quinta. 

"Criou-se um clima de radicalização que esta Casa não pode aceitar. Esta Casa tem que primar pelo equilíbrio, pela serenidade, objetividade e pelo trabalho parlamentar e, do jeito que está, se tornou insustentável. Eu asseguro que [isso] será resolvido até terça-feira (26) da semana que vem”, disse Henrique Alves.

O clima de tensão na Câmara piorou após a segunda reunião da comissão sob o comando de Marco Feliciano. Por causa da presença de manifestantes, o pastor só permaneceu na reunião por oito minutos. O deputado é alvo de protestos de grupos defensores dos direitos dos homossexuais e dos negros por ter publicado nas redes sociais comentários ofensivos contra gays e negros.