segunda-feira, 20 de maio de 2013

Violência em São Paulo (2): Virada cultural é marcada por arrastões, prisões e morte em São Paulo

 A Virada Cultural em São Paulo, poderia ter sido composta apenas de momentos de diversão e  lazer, não fosse a violência crescente que impera na cidade e que parece estar definitivamente fora do controle da polícia. Inúmeros arrastões, integrados por marginais, assaltavam todo mundo. Eram grupos de aproximadamente 50 pessoas que passavam abordando os frequentadores da festa e, após agressões, arrancavam à força celulares, carteiras, bonés, blusas e tênis, criando um verdadeiro clima de terror nas imediações do centro de São Paulo. Pessoas eram agredidas e jogadas ao chão, armas eram apontadas na hora dos assaltos, que ocorreram até na hora de voltar para casa nas dependências do metrô. 

A inércia da polícia foi relatada por várias vítimas que disseram ter sido assaltadas sob os olhos de policiais.  Um jovem de 19 anos que trabalhava numa padaria, foi morto com um tiro na cabeça porque reagiu ao assalto numa rua próxima.  Ele pensou que a arma fosse de brinquedo.

Como se não bastasse, ambulantes vendiam o chamado "vinho químico" livremente, que é uma mistura de 90% de álcool, açúcar e corantes com o objetivo de embriagar mais rapidamente sem nenhum controle do tipo sanitário.

Dezenas de pessoas foram presas, embora o relato oficial tenha sido menor. Havia fila na delegacia.

Até um senador foi roubado



Após o show de Daniela Mercury, que abriu a Virada Cultural 2013, o senador Eduardo Suplicy teve a carteira e o celular roubados quando estava no meio do público.
O senador  subiu ao palco, ao lado de Daniela Mercury, e a cantora fez um apelo para que a carteira fosse devolvida. 
Daniela passou o microfone para o senador, que vinha de Ribeirão Preto e passou para prestigiar o evento.  "Passei no meio da multidão e, no momento que eu estava sendo cumprimentado por tantas pessoas, alguém ficou com a minha carteira, com todos os documentos", contou.
"Podem até ficar com o dinheiro, mas devolvam os documentos, carteira de identidades, de motorista, cartão de crédito. Agradeço muito se puder devolver", disse, apalpando os bolsos. "Agora, eu percebi que levaram o meu celular. Se puder devolver também, agradeço muito", pediu.
A carteira do senador foi devolvida com os documentos, o celular não.