quinta-feira, 10 de maio de 2012

Notas rápidas sobre a Sessão da Câmara dos Vereadores do dia 8 de maio

Sessão da Câmara dos Vereadores do dia 8 de maio:

* Major Anderson - Foi aprovado o Projeto de lei que destina 3% do orçamento do município para a construção de casas populares. Na oportunidade, o vereador Major Anderson discorreu sobre a importância dessa mudança na Lei Orgânica do município. São apenas 3%, o que hoje daria mais ou menos 4 milhões, mas já é um começo". Major Anderson comentou também a sugestão que outros vereadores derem de destinar 1% para a compra de terrenos onde essas casas possam ser construídas e que foi incluída na lei. 

* Dra. Claudia - Ainda falando das casas populares, Dra. Claudia disse que o executivo deveria abandonar a ideia das 1600 casas e construir grupos pequenos de casas, 50, 100 que fossem, mas construir. "Fica muito mais fácil construir 50 casas dentro de um bairro do que construir um bairro inteiro, com escola, posto de saúde, policiamento, etc. Dra. Claudia pediu também que a comissão de Fiscalização de obras da Prefeitura fiscalizasse a obra que esta sendo feita na Calçada da Fama em cima da Galeria Teresópolis. Dois pavimentos já subiram e a obra esta avançando rapidamente e não se sabe se tem projeto, ou mesmo se a obra é regular. Voltou a falar também sobre o posto de gás que foi construído próximo a APAE, dizendo que isso não é permitido. Convidou para o culto em ação de graças pelos 15 anos da Climeq na Igreja Batista Central e para a missa a ser realizada na Igreja de Santa Terezinha.

* Waguinho - O vereador Waguinho questionou um queixa que teria sido dada na delegacia pela Secretária de Ação Social Maria das Graças Granito contra membros do Nudec do Rosário que teriam depredado Patrimônio Público e ainda acusado o vereador de ter incentivado o que eles fizeram. Waguinho negou ter feito isso e saiu em defesa dos acusados dizendo que nem todas as promessas feitas aos desabrigados foram cumpridas.




Votação polêmica

A tentativa de derrubar um veto dado no Governo Jorge Mário a um projeto de lei do vereador Paulinho Carvalho, deu o que falar. O Projeto diz que o nome do médico que esta no plantão deveria ser afixado com uma plaquinha nos postos de saúde. Dra. Claudia e Dr. Carlão, que são os médicos do grupo, posicionaram-se contra alegando as trocas de plantão, as impossibilidades de comparecimento em virtude de urgências etc, e que isso jogaria as pessoas contra os médicos quando estes não estivessem presentes. DR. Carlão foi enfático em dizer que o problema não é o nome do médico em postos de saúde, mas a presença de um médico nos postos de saúde. "Não pode é faltar médico", disse ele. Para não votarem o projeto, os dois saíram do plenário - como manda a lei - e a sessão acabou suspensa. A votação do projeto retorna a pauta na próxima sessão.