segunda-feira, 10 de junho de 2013

Começa a reforma do Centro Administrativo Celso Dalmaso. Parte do prédio será demolida.

Com o objetivo de reativar o Centro Administrativo Celso Dalmaso, localizado ao lado da Câmara Municipal, na Várzea, a Prefeitura contratou a empresa Prosan Engenharia, especializada em demolição, para derrubar parte do prédio. O trabalho começou nesta quinta-feira, 6, quando técnicos e engenheiros da empresa começaram as obras de demolição do prédio, que está interditado desde 1999. A ideia é recuperar o centro administrativo para instalar secretarias municipais que atualmente funcionam em espaços alugados, o que vai gerar economia para os cofres públicos.
De acordo com o engenheiro responsável, Antônio Hermínio de Oliveira, o edifício foi construído com um tipo de fundação segura, com estacamento, porém posteriormente o imóvel ganhou um anexo nos fundos. Este complemento foi feito com sapatas, sistema de fundação não apropriado para o terreno, causando fissuras e inclinação de parte da estrutura. “O prédio tem cerca de 50 metros de extensão e 25m serão demolidos, correspondente ao prédio que foi construído sobre as sapatas e que está arriando; os outros 25, a parte da frente do edifício, continuará de pé para reforma e utilização”, explicou.
O trabalho de demolição será feito manualmente, utilizando equipamentos mecanizados apenas na terceira laje, correspondente ao primeiro andar. Os andares superiores serão quebrados com marretas e martelo rompedor. Para evitar transtornos e acidentes, estão sendo colocadas proteções em torno do Centro Administrativo, bem como tela de retenção. A obra tem um prazo de 30 dias para ser finalizada.
Centro Administrativo Celso Dalmaso
O Centro Administrativo Celso Dalmaso foi projetado em abril de 1983, no início da administração do então prefeito Celso Dalmaso, para abrigar secretarias municipais. Com 1.896 m² de área construída em três pavimentos, o prédio foi inaugurado em 1985 e interditado pela primeira vez no final dos anos 80. Foi liberado pela administração seguinte e fechado novamente em 1999. Em 2007, ocorreram dois incêndios no edifício, que também abalaram a estrutura.