segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Nova visita ao sindicato: "não vamos medir esforços para aprovar o Plano de Cargos, Carreira e Salários dos servidores", diz Arlei

Arlei visitou espontaneamente a sede do Sindi-PMT surpreendendo a todos, pois nenhum outro prefeito havia feito isso antes
Arlei Rosa foi o primeiro prefeito da cidade de Teresópolis que se dirigiu espontaneamente a sede do Sind-PMT, Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Teresópolis, tão logo assumiu o cargo de Prefeito interino. Segundo Andrea Pacheco, presidente do sindicato, "foi uma grata surpresa, proporcionando uma aproximação que antes não existia". 


Visita nesta quarta-feira, 13
Afinal, não existe nenhum regra que diga que um sindicato de servidores tem que viver em rixas com a prefeitura. Quando um prefeito demonstra a boa vontade que o prefeito Arlei demonstrou,  é muito melhor cooperar para alcançar bons resultados do que viver em queda de braço. Ao que parece, Arlei tem uma visão do sindicalismo diferente da visão dos prefeitos anteriores, que talvez nutrissem uma imagem ruim. Antes de pensar em greve, por exemplo, um sindicato deve pensar em soluções. A greve é o último estágio, quando a intransigência dos patrões extrapola os limites do suportável, já que deve-se pensar no povo também, que sofre com os prejuízos das paralisações. Em um governo anterior da cidade, uma greve da saúde levou exatamente 11 meses, trazendo graves prejuízos a população.

No dia 13 deste mês, Arlei voltou ao sindicato para reafirmar seu compromisso de melhorar as condições dos servidores e implementar o PCCs conforme havia prometido em julho, mas, por recomendação da Procuradoria do município, que temia uma ação de improbidade administrativa naquele momento - e ele ainda era interino -, resolveu não assinar, mas sem nunca ter abdicado do compromisso de fazê-lo após as eleições. Nesse retorno a sede do sindicato, secundado pelo Secretário de Governo José Carlos Cunha e alguns assessores, Arlei conversou com diretores sobre as necessidades mais urgentes do funcionalismo e afirmou com convicção: "Não vamos medir esforços para aprovar o PCCS dos servidores".