quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Estão espalhando em Teresópolis que vitória de Mario Tricano no TSE já estaria definida. Boato ou "informação"?

Eleições em Teresópolis: Estão espalhando na cidade quem em Brasília já estaria tudo definido em favor do candidato Mario Tricano. Falam até de "forças ocultas"....
Segundo afirmam supostos eleitores do candidato, a coisa já estaria encaminhada para que o processo acabe mesmo nas mãos do Ministro Marco Aurélio, simpatizante da causa, e que este, alegando a impossibilidade de votar em plenário todos os processos existentes, estaria pronto a dar uma sentença monocrática, ou seja, decisão pessoal em favor do candidato indeferido. Outras fontes, entretanto, dizem que isso é impossível, devido a jurisprudência formada que vem se confirmando cada vez mais com as últimas decisões do TSE. 

Em uma das últimas decisões dadas pelo TSE, foi mantido o indeferimento do candidato mais votado de Novo Hamburgo (RS), embora sua condenação datasse do ano de 2004. Em Primavera, Pernambuco, o candidato conhecido como "pão com ovo" também teve a impugnação de sua candidatura mantida esta semana pelo TSE, apesar de sua condenação datar de 2006. 

A demora em votar os casos de impugnação pelo TSE, trouxe graves prejuízos emocionais as diversas cidades em que esses casos ocorreram. Como pode um candidato indeferido fazer campanha e concorrer? Que lógica é essa que diz que o candidato indeferido pode concorrer mas seus votos não são "válidos"? Quem perde com isso? Se a justiça revoga suas decisões com atraso, os candidatos "Ficha Limpa" que concorreram e ganharam, ficam com a sensação de que foram enganados. Se ela não revoga e mantém a impugnação, quem fica no prejuízo é o candidato indeferido e seus eleitores, que nutriram expectativas e na verdade nunca estiveram no páreo. Isso pode continuar assim?: