quarta-feira, 9 de outubro de 2013

Educação: Tem início a exposição "Cores, formas, letras e movimentos - Brasilidade em 200".


Com uma previsão de público de cerca de mil estudantes por dia, teve início na manhã desta quarta-feira, 9, a exposição ‘Cores, formas, letras e movimentos - Brasilidade em 200’, que segue até sexta-feira, 11 de outubro, no Ginásio Poliesportivo e Cultural Pedro Jahara – o Pedrão (Rua Tenente Luiz Meirelles, 211 – Várzea), com entrada franca. A organização é da Secretaria Municipal de Educação (SME) e a realização da programação cultural é do Sesc Teresópolis.

Nos três dias do evento, serão apresentados alguns dos trabalhos produzidos pelos alunos das creches, centros de educação infantil e escolas municipais, bem como da Educação de Jovens e Adultos e do programa Mais Educação. A exposição é a culminância do projeto pedagógico desenvolvido nas salas de aulas da rede municipal de ensino, e que propôs a realização de atividades ao longo dos duzentos dias do ano letivo para promover a cultura brasileira, seja ela popular ou erudita, passando pela literatura, arte, artesanato e música.
“A valorização da cultura brasileira e sua multiplicidade é uma forma que temos para diminuir as diferenças que encontramos dentro de nossas escolas. Quando a escola está aberta para receber seus alunos em toda a sua diversidade e características variadas, conseguimos criar um processo real de inclusão e pertencimento e é disso que se trata essa exposição”, explicou o secretário municipal de Educação, professor Leonardo Vasconcellos.
Uma grande estrutura foi montada dentro e fora do Pedrão para a realização das diversas atividades programadas, como oficinas de artes, exposição de artesanato e de livros e releitura de telas. Dois palcos, um interno e outro externo, abrigam apresentações culturais, artísticas e contação de histórias.
Participando de uma das oficinas ofertadas no estande ‘Sesc Meio Ambiente’, Emily Pimentel, aluna do 4° ano da Escola Municipal Maçon Lino Oroña, disse querer participar de muitas atividades. “Achei muito legal participar dessa oficina e fazer esse fantoche de cachorro. Também estou gostando muito da exposição e quero participar de outras oficinas porque elas parecem todas muito legais”, disse a estudante de 9 anos.
No primeiro dia, atividades variadas como oficinas de artes, mostra de artesanato, exposição de livros, apresentação das escolas e do programa Mais Educação, deram a tônica do evento. Além disso, shows musicais, contação de histórias e show de ventriloquismo garantiram a diversão do público.
Para Carla Rabello, diretora de educação da SME, o tema da exposição se torna ainda mais oportuno, dado o momento atual vivido pelo país. “O Brasil está lutando pelo seu espaço, o povo está indo para as ruas, mas para que o país seja possível é importante que as pessoas entendam de onde nós viemos, nossos motivos e características, porque só assim podemos compreender o momento atual. Nossa gente vale a pena e, para ensinar isso, trabalhamos a diversidade em nossas escolas, valorizando tantas coisas boas que nós temos”, refletiu a educadora.
A exposição segue, com entrada franca e apresentações bastante variadas, até esta sexta-feira.
Confira a programação:
Quinta-feira, dia 10
9h, Malas Portam Histórias – Viajando com a Mala Treco – palco interno
10h, Show com The Jump – palco externo
11h, Projeto Canta Enquanto Conta – palco interno
13h30, Show de Ventríloqua – palco interno
14h, Malas Portam Histórias – Viajando com a Mala Treco – palco interno
15h, Show com The Jump – palco externo
16h, Projeto Canta Enquanto Conta – palco interno
Outras atividades: oficinas de artes, exposição de artesanato, exposição de livros, releitura de telas
Sexta-feira, dia 11
9h, O Chapéu do Gabriel – Todas as Histórias do Mundo – palco interno
10h, O Circo dos Irmãos Brothers – palco externo
11h, Projeto Canta Enquanto Conta – palco interno
13h30, Show de Ventríloqua – palco interno
14h, O Chapéu do Gabriel – Todas as Histórias do Mundo – palco interno
15h, O Circo dos Irmãos Brothers – palco externo
16h, Projeto Canta Enquanto Conta – palco interno
Outras atividades: oficinas de artes, exposição de artesanato, exposição de livros, releitura de telas