segunda-feira, 22 de abril de 2013

Anistia Internacional diz que é inaceitável um político preconceituoso presidir a Comissão de Direitos Humanos no Brasil


A ONG Anistia Internacional criticou nesta segunda-feira, 25, a permanência do deputado e pastor Marco Feliciano (PSC-SP) na presidência da Comissão de Direitos Humanos da Câmara. Em nota, a entidade avaliou ser "inaceitável" que um político considerado preconceituoso ocupe o comando do colegiado. A ONG também cobra providências para que a Casa substitua o pastor.
"A presidência da comissão foi delegada a Feliciano depois de um acordo fechado entre lideranças do PT e do PSC".
"As posições claramente discriminatórias em relação à população negra, LGBT e mulheres, expressas em diferentes ocasiões pelo deputado Marco Feliciano, o tornam uma escolha inaceitável para a presidência da Comissão de Direitos Humanos e Proteção de Minorias", diz a ONG.
A Anistia Internacional chamou a atenção dos parlamentares da Câmara e ainda advertiu que os direitos fundamentais não devem ser objeto de barganha política. A presidência da comissão foi delegada a Feliciano depois de um acordo fechado entre lideranças do PT e do PSC.

A ONG Anistia Internacional é um movimento global com mais de 3 milhões de apoiadores, membros e ativistas, que atuam no mundo todo para proteger os direitos humanos.