quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

Teresópolis: Secretário de Obras e Serviços Públicos, Denilson Morais, fala sobre enchentes, servidões e recuperação da cidade

Secretário de Obras e Serviços Públicos,
Denilson Morais
Conversando hoje com o Secretário de Obras e Serviços Públicos, Denilson Morais, que em nosso entender é uma das principais Secretarias do governo devido as condições em que a cidade ainda se encontra após anos de descaso e duas tragédias naturais, falamos rapidamente sobre problemas mais imediatos a serem enfrentados, destacando as enchentes, a recuperação das ruas e as servidões, que seguem  abandonadas pelo poder publico. Denilson nos disse que hoje ele tem apenas 40 homens para fazer tudo, inclusive recuperar ruas, e que isso é muito pouco. O processo de licitação esta em andamento para contratação de uma nova empresa. "Com isso, pretendemos ter um contingente de pelo menos 100 homens nas ruas à disposição da Secretaria para atender todos os Distritos. Poderemos, então, solucionar mais rapidamente as reivindicações da população e realizar as obras necessárias a melhoria da cidade como um todo", disse.

Falou-nos também sobre estudos já realizados com o objetivo de ampliar a rede de escoamento de águas pluviais e diminuir consideravelmente a ocorrência de enchentes. "Vamos ampliar as galerias e construir novas. Isso não quer dizer que as enchentes serão completamente evitadas porque ninguém controla a força da natureza,  mas vão ser cada vez menores e o escoamento se dará muito mais rápido. Isso já esta em pauta". Quando tocamos no assunto das servidões de Teresópolis, Denilson demonstrou grande preocupação. Disse que existem servidões no Rosário e no Perpétuo que ele não sabe como as pessoas conseguem subir e isso esta assim há anos". "Vamos criar uma equipe de 6 ou 7 homens que ficará trabalhando de forma permanente nas servidões, fazendo tudo o que for preciso para melhorar as condições de vida dos moradores. Vamos pegar uma a uma, até que todas tenham sido beneficiadas, com iluminação pública inclusive." afirmou.