terça-feira, 15 de janeiro de 2013

Teresópolis: Câmara convoca representantes da Dedo de Deus para discutir problemas com a biometria nos veículos


A questão da biometria digital vem irritando passageiros de ônibus em Teresópolis há algumas semanas. Pessoas de idade são constrangidas ao terem que colocar o dedo por várias vezes nos aparelhos que deveriam servir para liberar o acesso gratuito mas, em sua maioria, vem se transformando em motivo de filas e desgaste dos passageiros. O assunto ganhou ainda mais repercussão depois que foi anunciado o aumento de passagem, colocado em prática esta semana, que elevou a tarifa de R$ 2,50 para R$ 2,90.
A questão foi tema de uma reunião entre os vereadores e representantes da Viação Dedo de Deus na manhã desta terça-feira. 

O presidente da Câmara, Maurício Lopes, convocou representantes da Viação Dedo de Deus para apresentar o sistema aos vereadores, explicar os motivos de falhas e corrigir os problemas. “Temos recebido muitas reclamações sobre esse sistema de biometria. Não podia deixar de dar uma resposta para a sociedade e, claro, antes de dar qualquer resposta o importante também é ouvir a empresa junto com os vereadores”, explicou o presidente.
O principal problema foi a dificuldade do usuário que não tem a digital legível, muitas vezes, por conta da própria atividade profissional, como o trabalhador rural, e não passa pelo sistema o que causa constrangimento. “A gente quer que o usuário seja respeitado”, avisou Cláudio Mello.

O consultor da Viação, Ricardo Canela, disse que um levantamento foi feito para verificar a facilidade do uso desse tipo de reconhecimento. “A biometria impactou no tempo de viagem, conforme o usuário se acostumar, o tempo será menor”, garantiu. Luciano de Vargem Grande, que foi motorista de ônibus, alertou para o período de volta às aulas. “Eu já fiquei 25 minutos parado esperando alunos para embarcar só passando o cartão”, alertou.

O gerente de Tecnologia de Informação da Viação, Jonas Garcia, disse que os usuários têm seis dedos cadastrados para, em caso de um dos dedos não ser lido, há outra opção para nova leitura. “Dentro desse padrão, 73% conseguem passar na primeira tentativa o restante no máximo até a terceira tentativa”, afirmou. Para Jonas, a população precisa se adequar a esse novo modelo. “O sistema está implantado há dois meses. Pedimos um pouco de tempo para a população se adequar. A gente não está tirando o benefício da gratuidade de ninguém. Essa é uma fase de amadurecimento do processo.”

“A implantação do sistema é gradativo. Ninguém quer prejudicar a empresa, mas como representante do povo não queremos prejuízo para a população”, afirmou Antônio Francisco.

Os vereadores sugeriram medidas a serem tomadas pela Viação Dedo de Deus para que o usuário não se sinta prejudicado. Foram destacados, a não utilização do sistema de biometria no horário de maior movimento, a restrição para apenas três tentativas de identificação por meio da digital, em caso de falha, o usuário será liberado e criação de uma campanha educativa para explicar à população sobre o sistema de biometria.
Os representantes da empresa se comprometeram a responder os vereadores até o dia 22 desse mês.