quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Morre homem que brigava na justiça pelo direito de tirar a própria vida

Tony Nicklinson era casado e pai de duas filhas 
O britânico Tony Nicklinson, que ficou paralisado depois de um derrame cerebral, travava na justiça uma batalha pelo direito de tirar a própria vida. A justiça entendeu que ele não poderia fazer isso por si mesmo, e que pela mão de outra pessoa caracterizaria homicídio. Ele não conseguiu a autorização mas acabou morrendo aos 58 anos. Nas suas justificativas para defender o direito de morrer, disse: "a qualidade de vida é mais importante do que a quantidade de vida". Tony, que só se comunicava por piscadelas,  tinha duas filhas e esposa e dizia que sua vida era um martírio constante.