sábado, 30 de novembro de 2013

Corpo de Bombeiros realiza exercício simulado de escape em prédios no UNIFESO

No Dia Estadual de Redução de Risco de Desastres no Rio de Janeiro, celebrado em 29 de novembro, o 16º Grupamento de Bombeiro Militar (Teresópolis) realizou junto ao Centro Universitário Serra dos Órgãos (UNIFESO) um exercício simulado de escape em prédios. De acordo com o major Marcelo Abreu, que supervisionou o evento, a ação foi feita em todo estado do Rio de Janeiro, numa mobilização que envolveu cerca de 150 mil pessoas em todo o território fluminense.
 A desocupação aconteceu às 11h em três prédios do Campus Sede e em um prédio do Hospital das Clínicas de Teresópolis Costantino Ottaviano (HCTCO), contando com o apoio de cerca de 30 bombeiros, que auxiliaram no planejamento e na execução do evento e buscaram conscientizar todos os envolvidos sobre a necessidade de se criar uma cultura de prevenção a desastres. Participaram da ação estudantes e professores do Centro Educacional Serra dos Órgãos (CESO) e dos cursos de graduação do UNIFESO, funcionários e alguns pacientes do hospital.
 O coronel Marcelo comentou que sua maior preocupação era a reação dos estudantes do colégio, no entanto os jovens surpreenderam ao demonstrar muita calma e disciplina durante a evacuação. “Eles agiram muito bem.  Espero que para o próximo ano façamos um outro exercício do tipo para avaliar se houve alguma mudança”, acrescentou o bombeiro. A professora Carla Regina Machado Neto, diretora do CESO, achou a mobilização produtiva, pois “nossos alunos estão sempre em ambientes de aglomeração e é importante saberem como se procede numa emergência”.
 Na visão da estudante Sabrina Moretti, do curso de Odontologia, “além de sabermos o que fazer também é importante podermos orientar os outros em caso de emergência, para que não vire tumulto e a saída das pessoas ocorra bem”.
O engenheiro de Segurança do Trabalho Henrique Luiz Rodrigues, do Serviço Especializado em Saúde e Medicina do Trabalho (SESMT) do UNIFESO, destacou que “esse plano de abandono de edificações é uma exigência legal, porém nós nunca tínhamos atuado com a integração do corpo de bombeiros”. Ele agradeceu a colaboração dos membros da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA), dos componentes do SESMT e dos clientes que colaboraram. “Temos que pensar que num futuro pode haver a necessidade de uma saída de emergência e com treinamento fica tudo mais fácil”, alertou.