terça-feira, 27 de agosto de 2013

Milhares de pessoas prestigiaram o Festival da Cultura Popular de Teresópolis durante 5 dias.

Teresópolis, 27 de agosto de 2013 - Do maracatu ao repentista, da quadrilha ao show de forró. Em grande estilo e com muita animação, os shows de Fernando Mello, com o 'Seu Quixote e Chico Pança', e de Wenderson Rosa encerraram na noite deste domingo, 25 de agosto, o Festival da Cultura Popular. Promovido pela Prefeitura, através da Secretaria de Cultura, em parceria com a Secretaria de Educação e ainda a concessionária de energia Ampla, o evento foi sucesso absoluto e agradou em cheio a população.

Ao longo de cinco dias, milhares de pessoas passaram pelos arredores da Casa de Cultura Adolpho Bloch e conferiram as diversas atividades realizadas no local. Quadrilha, apresentações de maracatu e bumba meu boi, casamento na roça e diversos shows fizeram parte da programação, inteiramente com entrada franca.

“Um grande sucesso. O Festival da Cultura Popular superou até mesmo as nossas expectativas. Foram cinco dias de festa, trazendo a Teresópolis atrações diferenciadas para mostrar ao público a verdadeira cultura popular e comemorando da melhor forma o mês do folclore" Um balanço 100% positivo”, comemorou o Secretário de Cultura, Wanderley Peres.
 
Atrações diurnas ganham o público

Iniciado na quarta-feira, 21, o Festival da Cultura Popular teve de tudo um pouco, com atividades de dia e à noite. De quarta, 21 a sexta, 23, foram realizadas durante o dia nas dependências da Casa de Cultura as oficinas e apresentações do Consciência Ampla Cultural - que fez parte do festival -, atendendo a cerca de 3.000 crianças, alunos da rede municipal de ensino. O desenhista Daniel Azulay foi uma das atrações. Já no sábado, 24, e no domingo, 25, as atrações aconteceram no anfiteatro e arredores da Casa de Cultura. No sábado, as atrações começaram pela capoeira de mestre Cidinho, seguida pelos alunos de teatro infantil da Secretaria de Cultura, que encantaram a plateia com muitas parlendas, adivinhas e trava-línguas, orientados pela professora Jeanette Albuquerque.

Depois, um festival de cores tomou conta do lugar com a apresentação do Maracatu. Coordenado por Írio Lima, a atração teve a participação de 60 pessoas, integrantes dos projetos Pro-Jovem, Programa de Erradicação do Trabalho Infantil e Pólo do Idoso, que vieram diretamente de Guapimirim para o evento. Um ônibus da Prefeitura de Guapimirim trouxe o grupo, que encantou a plateia.
 
Ainda na tarde de domingo, a última das atrações diurnas foi aplaudida de pé. De Nova Iguaçu, o Grupo Folclórico Brega e Chique apresentou uma quadrilha estilizada, composta por 48 integrantes, tendo como tema as Brincadeiras de Criança. O figurino de época, muito colorido, despertou o interesse das pessoas, assim como a coreografia em si, embalada por músicas do cancioneiro popular.

Shows à noite garantem diversão

Além de todas as atrações realizadas durante o dia, diversos shows divertiram o público à noite entre os dias 21 e 25. O cantor e compositor Dudu Nobre participou de bate-papo no teatro da Casa, cantando também diversos sucessos. Mas este foi só o início. Um grande palco em formato concha foi montado no anfiteatro da Casa de Cultura e por lá passaram diversos artistas. Írio Lima divertiu a plateia na quarta, 21, e a simpática dupla Bento e Mariano foi a atração de quinta, 22. Na sexta-feira, 23, Sandra de Sá lotou a Praça Juscelino Kubitschek e fez um show emocionante. Apresentou grandes sucessos de sua carreira, como 'Olhos Coloridos', 'Solidão' e 'Retratos e Canções' e desceu do palco para cantar no meio do público a consagrada 'Bye-bye Tristeza'.
 
No sábado, 24, a noite foi nordestina. Primeiro, o show de Zé da Onça e Sua Gente, diretamente da Feira de São Cristóvão para Teresópolis.

Finalmente no domingo, 25, foi a vez de Fernando Mello e o show 'Seu Quixote e Chico Pança', que também colocou todo mundo pra dançar ao som de muito forró. 'É proibido cochilar', 'Esperando na janela' e 'Táxi Lunar' estiveram no repertório do show. E encerrando o evento em grande estilo, Wenderson Rosa e Banda Expressão Brasil.

Cidade cenográfica: um show à parte

Parte fundamental da festa, a cidade cenográfica montada pela equipe da Secretaria de Cultura, com coordenação do designer e artista plástico Ricardo Guarilha, foi um show à parte. Com inúmeros detalhes e uma simpática igrejinha, a decoração caiu nas graças do público e foram muitos os que fizeram questão de registrar o momento com fotos. “Eu adorei. Achei muito legal. Fiquei curioso em ver tudo de perto e fiz questão de fazer fotos. Incrível”, disse Rômulo da Silva.

A igrejinha, aliás, não foi apenas decorativa. Ao contrário, teve papel fundamental na encenação do casamento na roça, sendo o cenário do esquete. A decoração contou ainda com pórtico, banners e paineis personalizados, o Cantinho da Cultura, com informações, e uma sala de artesanato, onde ficaram expostos artigos de artesanato típicos do Nordeste, como esculturas em barro.

Para atender o público em todas as suas necessidades, a festa teve ainda ampla praça de alimentação, com os mais deliciosos quitutes típicos de um bom arraial, e também diversos estandes de artesanato, explorados pelas artesãs do Espaço Mulher e do Cultura de Raiz. Para a criançada, além das atrações em si, a diversão ficou garantida com estandes de brincadeiras como pescaria, tiro ao alvo, chute a gol e boliche eletrônico, além de um parquinho montado ao longo da tarde no sábado e no domingo com escorrega inflável, cama elástica, touro mecânico e piscina de bolas.