domingo, 23 de dezembro de 2012

Um ano de perdas na imprensa teresopolitana - Matéria: Maurício Aragão


Um ano de perdas na imprensa teresopolitana

O ano de 2012 chega ao fim com perdas na imprensa teresopolitana. Na madrugada deste domingo, o  cronista esportivo do Teresópolis Jornal e Rádio Teresópolis, Sylvio Maffei Filho, veio a falecer após complicações cardíacas. Um ano em que outras cinco pessoas que marcaram a imprensa teresopolitana também nos deixaram. Registramos aqui uma homenagem a todos estes profissionais, que, em veículos impressos, televisão ou rádio da cidade, contribuíram cada um em sua área para informar os teresopolitanos.
Sylvio foi sepultado na manhã deste domingo, com a presença de familiares e de muitos amigos da imprensa  e do esporte. Além de militar na imprensa, Sylvio, que foi professor de educação física, vinha se dedicando há vários anos à arbitragem de futebol e futsal em competições municipais e estaduais.
Além de Sylvio, deixaram uma lacuna na imprensa de Teresópolis este ano as seguintes personalidades:
- Bandeira Júnior: Na foto o saudoso Bandeira Júnior aparece ao lado do filho Luiz Cláudio Bandeira,   também radialista, hoje na Super Rádio Tupi. Uma paixão pelo rádio passada de pai para filho. Bandeira foi um dos grandes nomes da Rádio na cidade, tendo sido durante anos comunicador da Rádio Teresópolis e depois um dos fundadores da Rádio Geração 2000.



 - Fernando Pinto (Gato Preto): Um dos principais nomes do jornalismo policial em Teresópolis, Gato Preto, como era conhecido, durante anos trouxe aos ouvintes da Rádio Teresópolis e aos leitores da antiga A Gazeta de Teresópolis as informações diretamente dos plantões da 110a. Delegacia de Polícia. Um dos nomes que deixa saudades ao público e aos colegas de imprensa.



- Evaldo Oliveira: O texto usado em suas colunas em jornais da cidade, como a antiga Gazeta de Teresópolis e mais recentemente O Diário de Teresópolis, trazia verdadeiras crônicas do dia a dia do município. Também passava a mesma serenidade que sempre o caracterizou no convívio com os colegas de imprensa ou da Câmara, onde trabalhou até se aposentar. Outra grande perda.

- Eliane Almeida: Falecida em abril deste ano, a repórter policial Eliane Almeida é outra personalidade dos   veículos de comunicação que deixou uma lacuna. Começou também com reportagem policial na antiga Gazeta de Teresópolis e escreveu para outros jornais, como A Verdade e A Voz da Região. Apresentava também um programa na TV Obrac, tv a cabo local. 






 - Sandra Helena: Cerca de um mês antes havia falecido outra repórter policial. Sandra Helena chegou a ficar internada por três meses antes de vir a falecer. Ela trabalhou para o Teresópolis Jornal e o Canal 7, onde apresentou o programa Rota 07, entre outros 







Matéria Maurício Aragão - Gazeta Fluminense