quinta-feira, 8 de maio de 2014

PREFEITURA DE TERESÓPOLIS CANCELA CONTRATO COM A FIBRA E ASSUME GESTÃO DA UPA

A partir desta quinta-feira, dia 8, a Prefeitura, através da Secretaria Municipal de Saúde, é a gestora da UPA Teresópolis. A decisão foi tomada depois de decorrido o prazo de 24h concedido pelo Executivo, através de notificação, para que o Instituto Social Fibra se posicionasse a respeito das reclamações de descumprimento contratual e prejuízo ao atendimento à população.

O anúncio foi feito na manhã desta quinta, dia 8, pelo prefeito Arlei, que visitou a UPA, acompanhado pelos secretários de Saúde, Cezar Alonso, e de Administração, José Carlos Cunha, bem como dos vereadores Maurício Lopes – presidente da Câmara Municipal, Dr. Antonio Francisco, Dedê da Barra e Luciano de Vargem Grande.

O grupo visitou todos os setores da unidade, conversando com funcionários e pacientes. Em seguida, a comitiva participou de reunião com diretores e funcionários da UPA. Participaram do encontro de trabalho o diretor médico Bruno Castilho, as coordenadoras de Enfermagem, Daniele Aragão, e de Farmácia, Suzana Bernardino Araújo. O encontro também foi acompanhado pelo presidente do Conselho Municipal de Saúde, Valdir Paulino, e pelo conselheiro Jarbas Carvalho da Silveira. Em seguida, o diretor administrativo, Marcos Vinicius Zamith, acompanhou reunião das chefias da UPA com o secretário de Saúde.

“Devido às reclamações contra a empresa que administra a UPA, a Prefeitura fez uma notificação e está assumindo a gestão da unidade. Vamos contratar emergencialmente uma empresa por 90 dias, e nesse período será realizada licitação para contratação de nova empresa”, anunciou o prefeito Arlei. “A Prefeitura faz os seus pagamentos e a Fibra não cumpre o contrato. Não dava para esperar mais. Vamos dar o melhor atendimento à população e respeitar os funcionários”, pontuou.

Isso apesar de a Administração Municipal vir mantendo o pagamento regular dos recursos à Unidade de Pronto Atendimento. Além disso, a Prefeitura também vem fazendo a reposição de medicamentos, apesar de esta obrigação ser de responsabilidade do Instituto Social Fibra.

Tendo em vista a situação, e com o objetivo de manter o pleno atendimento à população, a Secretaria Municipal de Saúde solicitou parecer da Procuradoria Geral do Município sobre a rescisão do contrato com a OS Fibra.