quarta-feira, 28 de maio de 2014

PARREIRA ELOGIA TERESÓPOLIS E RECEPÇÃO CALOROSA DA POPULAÇÃO


Após a recepção calorosa do teresopolitano na chegada da Seleção Brasileira de Futebol, o coordenador técnico da equipe, Carlos Alberto Parreira, e o auxiliar técnico, Flávio Murtosa, atenderam a imprensa presente em uma coletiva de aproximadamente 45 minutos.

Antes de dar início às perguntas dos jornalistas, Parreira elogiou Teresópolis e a recepção da população, além da reforma feita no Centro de Treinamento, o que tornou possível a volta da Seleção Brasileira para Teresópolis.

“É um motivo de orgulho para o futebol brasileiro ter uma concentração nesse nível e também para essa cidade que nos acolhe há quase 30 anos, com muito carinho, e principalmente para esse povo que sofreu com a tragédia de 2011. Quero dedicar nossa estadia aqui ao povo de Teresópolis que nos apoiou”, disse.

Dando início à coletiva, a pergunta mais frequente foi sobre o favoritismo da Seleção Brasileira, jogando em casa. Parreira e Murtosa responderam a todas as perguntas sobre o tema, destacando que nem sempre favoritismo ganha as competições.

“Temos um time com fome de vencer, está com vontade de ganhar essa Copa. É graças a essa confiança que consideramos o Brasil favorito, assim como aconteceu em outras Copas”, afirmou Parreira, ressaltando o outro lado desta previsão.

“Favoritismo não ganha jogo, muito menos Copa do Mundo, se não houver talento e vontade. A Hungria era a maior favorita em 1954 e o título ficou com a Alemanha”, finalizou.