terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

CÂMARA MUNICIPAL DE TERESÓPOLIS (23/02) - Maioria vota a favor dos servidores e nenhum benefício foi retirado.

Após a execução do Hino Nacional, o presidente Pedro Gil esclareceu que, segundo determinação da justiça, os servidores teriam direito de participar da sessão no plenário, mas, como medida de segurança, de acordo com o número de cadeiras disponíveis. Com isso, as dependências da Câmara não ficaram lotadas. Os servidores tiveram comportamento exemplar e a sessão iniciou normalmente.

RESUMO:

1) Iniciada a sessão, e ao contrário do que era esperado, os vereadores votaram a favor da permanência de todos os benefícios dos servidores. Nenhum benefício foi cancelado.

2) Os vereadores votaram também pela continuidade do auxílio transporte universitário e da bolsa universitária.

3) Foi mantida também a rubrica de 3% no orçamento para construção de casas populares (Projeto do então vereador major Anderson).

4) Vereadores votaram com a prefeitura na questão das OS, extinguindo a lei aprovada na gestão anterior que proibia a entrada de novas OS no município. Único voto contrário do vereador Maurício Lopes.

5) DRA. CLAUDIA - Pedindo a palavra, a vereadora Dra. Cláudia lamentou mais uma vez a atitude de determinados servidores na sessão anterior, onde os vereadores foram "massacrados" sem que lhes fosse dada chance de pronunciamento. A vereadora garantiu ainda, que todos estão lá com o propósito de melhorar a situação da cidade e ninguém quer prejudicar a população.

6) MAURÍCIO LOPES - Vereador Maurício Lopes parabenizou a luta dos servidores e criticou os servidores "que ficam em casa, na zona de conforto, aguardando o resultado da luta dos outros servidores". Defendeu também seu ponto de vista contrário as OS, afirmando que não poderia votar contrariando uma lei aprovada na sua gestão como presidente.

7) DA PONTE - O vereador Da Ponte, que anteriormente havia votado contra as OS, justificou sua mudança de voto como "um voto de confiança dado ao prefeito", e pediu aos servidores que intensifiquem o diálogo com a prefeitura, para que o clima de guerra não ocorra novamente. Segundo Da Ponte, esse é o melhor caminho. Disse ainda que esteve conversando com o prefeito, e que tem certeza de que ele quer "botar a cidade para andar".

8) TENENTE JAIME - Tenente Jaime leu o projeto do executivo que extingue 44 cargos e cria cinco de médicos peritos. Projeto aprovado. Falou também sobre melhorias no setor de meio ambiente, exaltando o fato de que meio ambiente tem tudo a ver com turismo. O vereador também leu um ofício do PTB, definindo seu nome como líder de bancada do partido na câmara, e agradeceu a colaboração dos presentes para que os trabalhos do legislativo pudessem transcorrer em ritmo normal.

9) RONNY CARREIRO - O vereador Ronny Carreiro lembrou mais uma vez o problema das casas populares, e pediu aos seus pares empenho no sentido de resolverem a questão. Lembrou o fato de que são apenas 1250 casas construídas, e o número de desabrigados da tragédia é de 2410 pessoas. "E quem não foi sorteado? O que vai acontecer com essas pessoas? Vai faltar moradia e não há nenhum parecer do governo do Estado em relação a isso", disse.