sexta-feira, 27 de novembro de 2015

Prefeitura doa terreno para construção de moradias na Ilha do Caxangá

O prefeito Márcio Catão assinou nesta segunda-feira, dia 23, documento oficializando a doação de um terreno do Município à Avit (Associação das Vítimas das Chuvas em Teresópolis). A área é destinada à construção de unidades habitacionais para as famílias que residem em área de risco de alagamento na comunidade da Ilha do Caxangá, no bairro do Alto. Com 1190m² e situado na própria localidade, o imóvel tem capacidade aproximada para a construção de 40 unidades habitacionais. A cessão atende às formalidades iniciais de apresentação de projeto habitacional de interesse social no programa Minha Casa Minha Vida, do Governo Federal, e para o qual a Avit se habilitou.
Acompanharam a reunião de assinatura, realizada na Capela São Paulo, na Ilha do Caxangá, o vereador Maurício Lopes – presidente da Câmara Municipal, o Procurador Geral do Município, Daniel Felipe dos Santos, o secretário municipal de Governo, Alex Castellar, e os diretores da Avit, Luiz Cláudio Carneiro e Claudio Ribeiro, além do arquiteto voluntário José Mariano de Abreu, autor do projeto de construção das moradias, e os moradores.

Para o prefeito Márcio Catão, é mais um passo para a regularização de moradias irregulares existentes em áreas de risco e de preservação ambiental em Teresópolis. “É mais uma etapa que vencemos. Vamos continuar trabalhando em parceria, poder público e sociedade, para melhor atender as demandas da população e, neste caso, dos moradores desta comunidade. Juntos, faremos outros projetos habitacionais, como esse. É meu compromisso”, destacou o prefeito, parabenizando a iniciativa da Avit em prol dos moradores da Ilha do Caxangá.
 O vereador Maurício Lopes parabenizou a iniciativa. “É importante que o prefeito vá às comunidades para ver de perto os problemas enfrentados pela população. Assim que o Executivo Municipal enviar projeto de lei para a Câmara, ele será colocado em votação em regime de urgência”, garantiu.
 Segundo o diretor da Avit, Luiz Claudio Carneiro, a área foi avaliada pelo Instituto Estadual do Ambiente. “O Inea já fez estudo de vazão, então é possível construir no local. Precisávamos dessa parceria da Prefeitura para dar andamento ao projeto. O próximo passo é formar uma proposta, enviar à Secretaria Nacional de Habitação/Ministério das Cidades e torcer para que seja aprovada. Parabenizo os moradores por não terem perdido a esperança”.
Morador há 30 anos na Ilha do Caxangá, o carpinteiro João Carlos Carvalho comemorou. “Recebemos o prefeito Márcio Catão e hoje a nossa história mudou. Agora vamos lutar para sermos um bairro”.
A desocupação de aproximadamente 40 casas construídas às margens do Rio Paquequer, na Ilha do Caxangá, atende a uma ação civil pública promovida pelo Ministério Público Estadual em 2014. Isso porque as moradias se encontram em área de risco de alagamento. Desde então, Prefeitura e moradores buscavam alternativas para a realocação das famílias.